Goodbye 2014, Hello 2015!

The year 2014 was really special, both on a personal level, as here in O Editorial. In addition to the confirmation that the collaborations launched in the previous year were a success, we introduced new products, selected especially for our store. However, the highlight of this field was the launch of the O Editorial bicycle together with the Velo Culture, using a beautiful frame made and painting in Portugal and high quality components.
In addition, we launched an advisory service, in which we're dedicated to produce the best content for brands with which we identify.
For 2015, we will continue to present local and international projects that we admire the most, as well as exploring new products and collaborations to our store. We wish you a great 2015!

And because last year was also an excellent year in terms of posts, here are 12 portuguese projects and products that inspired us in 2014 and that weren't published in O Editorial:
- The new Yara sunglasses by Paulino Spectacles for the original design...
- The beautiful book covers by publisher Orfeu Negro...
- The functional wooden bar Mister by Wewood...
- The magnificent work of Cristiana Couceiro...
- The original lamps by Orikomi...
- The appealling low table Times 4 designed by Gonçalo Campos for Polit...
- The revival of 12 as an elegant men's magazine...
- The excellent debut album of Sequin, a solo project by Ana Miró...
- The timeless Barney sneakers by Bernardo M42...
- The Ulnar gloves, a collaboration between Newfangle and Dream Wheels...
- The new collection Love Who You Want, designed by Christian Lacroix for Vista Alegre...
- And the simplicity of Roda chair by Branca Lisboa.

Casa Ruim

This post is only available in portuguese.  Torres Vedras pode não parecer o local mais óbvio para estabelecer uma loja como a Casa Ruim, no entanto Vanessa Éffe e João Faustino provam desde 2009 que é possível manter um espaço repleto de livros e curiosidades numa cidade mais pequena. Entre volumes da Planeta Tangerina, banda desenhada, robots de lata, cadernos da Serrote, ilustrações e cerâmica da Bordallo Pinheiro, a pequena mascote da loja, uma gata preta de nome Simone, dá boas-vindas aos clientes.

O Editorial falou com Vanessa Éffe, co-fundadora da Casa Ruim:

O Editorial: O que vos levou a abrir a Casa Ruim? Vanessa Éffe: Foi a vontade de ter um espaço com os artigos que gostamos, muita e boa banda desenhada, ilustração, brinquedos de lata, especialmente robots! Somos muito revivalistas, adoramos tudo o que é vintage, do mais kitsch ao mais clássico. E depois juntar a essa vontade, há de ter um Atelier de Design e Ilustração. O João Faustino faz design gráfico, webdesign e vídeo e eu faço ilustração, fotografia e tenho experiência em comércio.

Que factores valorizam na escolha de novos produtos? Essencialmente somos sensíveis à ilustração e ao design e por conseguinte à história que o objecto tem para nos contar. Damos preferência aos produtos portugueses e que tenham alguma história, como é o caso da Viarco. Os Lápis Viarco atravessaram várias gerações e são o exemplo do bom design que actualmente se faz em Portugal, orgulhamos-nos de vender deste o pião Turn-it ao lápis que tantos têm na memória, da tabuada.

E quais os produtos mais vendidos? Os álbuns ilustrados vendem muito bem, todas as edições da Planeta Tangerina, Bruaá, Orfeu Negro, Kalandraka, Oqo... seguidos dos brinquedos de lata, aí a preferência vai para o Macaco Calculadora e o Caixeiro Viajante, são lindíssimos mas também os mais pequenos, os ratinhos, galos e outras bicharadas! Os caleidoscópios, os cadernos da Moleskine, por exemplo da colecção Star Wars e Fanzines. Também vendo muito bem os lápis da Viarco e começamos agora a ter peças da Bordallo Pinheiro e está a receber muito bom feedback por parte dos clientes.

"Vivemos perto de tudo, de Lisboa, do mar, da natureza e também a poucos passos da loja, o que nos oferece muita qualidade de vida porque não temos que enfrentar filas para chegar ao trabalho nem confusões. Torres Vedras é uma pequena cidade, calma... mas por vezes demais, o que trás também desvantagens a nível de visitas na loja. Mas combatemos isso com o nosso site online e com as redes sociais a quem estamos sempre ligados! Adoramos o centro histórico de Torres Vedras e o comércio tradicional, tem história e foi isso que procuramos fazer parte dele!"

E a gata, ajuda nas vendas? A Simone convida as pessoas a entrar quando se mete à porta ou em cima do balcão. Muitas conversas surgem por causa dela e também ajuda às pessoas sentirem-se mais à vontade, isto se não forem supersticiosas, porque se forem, nem sequer entram... e ainda bem! Principalmente, ajuda no bem estar no local de trabalho, sinto-me em boa companhia e ela ganhou um lar onde é bem tratada e conhecida por todos!

E o episódio mais insólito? Já tivemos tantas histórias insólitas que não posso contar... o espaço onde estamos foi durante vários anos uma loja de venda de roupa de casa, lençóis, meias, roupa interior... e quase três anos depois de termos aberto a loja continuam-me a perguntar se tenho ceroulas para vender... sim ceroulas!