Mantis por Bernard Schottlander

Fundada por Philippe Cazer e Frédéric Winkler, a DCW Éditions é uma companhia francesa dedicada à reedição de alguns dos mais bonitos clássicos do design do século XX: "objectos que são companheiros na nossa vida quotidiana, fiáveis, honestos, cuidadosamente pensados e fabricados na perfeição". Para além da colecção de iluminação Lamp Gras e da cadeira Surpil, a DCW Éditions apresenta os esculturais candeeiros Mantis, desenhados por Bernard Schottlander em 1951.
Nascido na Alemanha em 1924, mas tendo ido para Inglaterra no início da Segunda Grande Guerra como refugiado judeu, Schottlander aprendeu a soldar e estudou escultura após ter estado ao serviço do exército britânico na Índia. Descrevendo-se como um "designer para interiores e um escultor para exteriores", Schottlander era um admirador confesso do trabalho de Alexander Calder, expressando de igual modo nas suas criações o movimento e formas orgânicas pelos quais o artista americano ficou conhecido. Reflectindo essa mesma elegância e leveza, a colecção Mantis destaca-se pelo engenhoso sistema de contrapesos e pelas finas, mas robustas, barras de metal flexíveis. Fazendo um jogo visual entre balanço e desequilíbrio, no qual o simétrico e assimétrico estão em oposição, os candeeiros desenhados por Schottlander transmitem uma rara poesia através do design e são certamente uma das mais brilhantes criações que já alguma vi.

schottlander2

schottlander3