Italia Veloce

Fundada por três amigos, a Italia Veloce é um excelente exemplo disso mesmo. Inspirada nas bicicletas vintage, a marca originária de Parma deseja redescobrir o valor das peças feitas manualmente e promover um estilo de vida mais tradicional e ecológico, onde a bicicletas desempenham um papel central. Combinando estilo, qualidade e velocidade, as bicicletas da Italia Veloce são verdadeiras peças de design em movimento. O Editorial falou com Christian Grande, um dos fundadores da marca e com Gianluca Poerio, RP da Italia Veloce, que participou no recente Tweed Run, em Londres.

O Editorial: Como começou a Italia Veloce?
Christian Grande: Três antigos colegas de escola, envolvidos em áreas como design, arte e comunicação encontraram um quadro de bicicleta antigo e renovaram-no. Depois tiveram a ideia de reproduzir novas bicicletas com referência a um passado glorioso,e enriquecendo-lo com tecnologia e detalhes modernos.

Qual o conceito da marca?
Dinamismo, espírito e estilo italiano, inspirado por conceitos gráficos e valores do futurismo do passado e misturando este elementos com tecnologia moderna, velocidade, desporto e design.

"Nós vamos buscar inspiração ao passado e futuro: é uma homenagem à ideia de modernidade do último século em Itália, conjugado com a nossa ideia de estilo de vida e estética italiana".

E qual a tua bicicleta favorita na colecção?
A Magnifica, porque é produzida com enormes dificuldades técnicas, típicas da tradição artesanal, impossíveis de encontrar noutros produtos comerciais.

E lojas de bicicletas?
A poucos convencionais, que tratam as bicicletas como um estilo de vida, com peças feitas à mão, detalhes, acessórios e vestuário.

Locais favoritos para andar de bicicleta?
As cidades, com as suas baixas e parques.

Qual foi a coisa mais estranha que fizeste numa bicicleta?
Éramos três 'abordo' de uma bicicleta, e conseguimos mesmo assim percorrer uma longa distância...

O que as cidades deveriam fazer para ser mais amigas das bicicletas?
As metrópoles, de certeza as italianas, deveria olhar para as cidades do norte da Europa em termos de facilidade de utilização e infraestruturas.

Quais os teus locais favoritos?
Milão como cidade, o MoMA em Nova Iorque, o restaurante Nobu em Milão, e as lojas Tod's e Fay a nível internacional.

O que vos motivou a ir ao Tweed Run? Qual foi o retorno?
Gianluca Poerio: O Tweed Run, na nossa opinião, é uma das mais sofisticadas formas de se pedalar ou andar, como se pode aperceber no momento. Redescobrir um "estilo de vida antigo", que é actualmente o verdadeiro luxo para qualquer pessoa. Redescobrir a elegância, e gestos cavalheirescos agradáveis. Os britânicos são exemplo disso mesmo e os participantes no Tweed Run são apaixonados pelo estilo "vintage - antigo".
A Italia Veloce, com a sua Ribelle foi um dos protagonistas. Um largo número de Senhores & Senhoras britânicos vieram ver a bicicleta. Fiquei impressionado, e foi uma grande surpresa em observar que os participantes são verdadeiros amantes de bicicletas. Muitos deles ficaram apaixonados pela bicicleta.