Marta Braga

Interview with Marta Braga, journalist and writer of Abram a Boca e Fechem os Olhos. This post is only available in portuguese.Desde o momento que visitei o Abram a Boca e Fechem os Olhos pela primeira vez, que nunca mais deixei de acompanhar este blogue dedicado ao melhor da comida e do lifestyle. Criado por Marta Braga, jornalista da Lux Woman há mais de uma década, o blogue reflecte o excelente gosto da autora e o seu interessante mundo pessoal, abrangendo os mais diversos temas, desde visitas a restaurantes, viagens e receitas.Apaixonada por comida, bicicletas e a vida em geral, Marta Braga falou com O Editorial sobre o seu blogue, Lisboa, entre outras coisas:

O Editorial: Como surgiu a ideia de criar o Abram a Boca e Fechem os Olhos? Marta Braga: Sempre gostei de cozinhar, de restaurantes, de livros de culinária, de organizar jantares para amigos e de comida sob as suas mais variadas formas. A determinada altura foram várias as pessoas que me disseram: tens tanto jeito, porque é que não fazes um blogue? Achei que fazia todo o sentido e avancei.

Gostas  mais de comer ou cozinhar? Quando não cozinhamos tudo nos sabe melhor. Mas, continuo a gostar do melhor dos dois mundos,  gosto de uma e da outra parte. Adoro comer, mas só aquilo que tenho a certeza de que vale a pena cada caloria que estou a ingerir. E adoro cozinhar, de não seguir receitas, de o fazer de uma forma intuitiva, misturando ingredientes de uma forma mais ou menos aleatória, mas com alguma lógica. É um processo criativo muito interessante.

Qual o restaurante que mais gostaste de  visitar? e porquê? Já estive em vários muito bons, mas há um que destaco: um dos restaurantes do Gordon Ramsay, em Londres. Foi há uns cinco anos talvez, tudo estava divinalmente bem feito. Lembro-me de estar a meio da refeição e pensar “Oh meu Deus eu sou uma privilegiada”. Foi das melhores refeições que comi na vida. Lembro-me do vinho ser absolutamente espectacular e de na altura ter sabido o que estava a beber, mas não tomei nota e… evaporou-se da minha memória.

Quais os teus locais favoritos em Lisboa? Existem dois pelos quais tenho um carinho muito especial: o 100 maneiras onde sempre comi e fui muito bem recebida e a Mercearia Criativa, que é dos projectos mais interessantes que a cidade de Lisboa acolheu nos últimos tempos. A Mercearia Criativa é uma espécie de Best Of dos vários produtos que existem em Portugal.

O que gostas mais em Lisboa? Do vinho quente com especiarias do Kaffeehaus numa noite fria de inverno; Do hambúrguer do 100 maneiras acompanhado por um sumo de tomate muito bem temperado; Da luz da cidade; Dos passeios de bicicleta sem destino definido; De fazer compras ao sábado de manhã no Mercado biológico do Príncipe Real.

O que achas que se  poderia fazer em Lisboa para se tornar uma cidade mais atractiva?Estarmos ainda mais virados para os turistas, porque neste momento bem precisamos deles. Se cada um promover a sua Lisboa da melhor forma, já será meio caminho andado. Quem souber fazer vídeos que os faça e  os divulgue, o mesmo para os ilustradores, fotógrafos, escritores e todos os outros… porque, tudo conta!