Dry Drill

Interview with Henrique Pinho Dry Drill, founder of Dry Drill. This post is only available in portuguese.Fundada em 2011 por Henrique Pinho, a Dry Drill é a última novidade no campo das bicicletas em Portugal. Desejando apresentar a bicicleta como um acessório de moda, a Dry Drill criou uma apelativa colecção totalmente produzida em território nacional. Apresentando quadros de geometria clássica, as bicicletas fixie da marca portuense destacam-se pelo design original e alargado leque de opcionais disponíveis (ver nota final). O Editorial falou com Henrique Pinho (na foto) e inicia uma semana dedicada a Portugal: O Editorial: Como surgiu a ideia de criar a DryDrill? E qual o conceito da marca? Henrique Pinho: Em virtude de trabalhar em várias marcas, queria construir uma que fosse parte da minha identidade, tivesse o meu sangue. Como todas as ideias, que possam surgir durante uma noite mal dormida, a junção das palavras que pretendia unir e dar um único significado, DryDrill, dry de denim no seu estado raw e drill de fresa, de mecânico.

"Agora a pergunta porquê estes dois mundos? Simples, porque são ambos industriais mas através do design e engenho se transformam em peças maravilhosas e muito pessoais e eu quero estar perto das pessoas. Além disso sou apaixonado pelo denim e por aço, tenho de seguir aquilo que amo…"

A bicicleta é o teu meio de transporte principal? Reparto o meu tempo entre o carro para as grandes deslocações, mota para incursões rápidas na cidade e vias envolventes, com tempo prefiro usufruir da bicicleta, paro em todo o lado, encontro pessoas, interajo com a cidade de uma forma que os outros meios não me permitem e tiro fotografias...

"Só a saúde e liberdade que dá em troca já é um argumento de peso para convencer alguém a trocar o carro pala bicicleta. Pensem na responsabilidade que têm na deterioração do território e claro nas cidades como ficavam mais bonitas com mais pessoas e menos carros".

Qual foi a coisa mais estranha que fizeste com uma bicicleta? Já tentei algumas habilidades mas acho que não tenho jeito para a coisa, gosto mais de ver o que conseguem fazer, os especialistas claro, principalmente o Trial.

Quais são os teus locais favoritos para andar de bicicleta? Em definitivo na orla marítima e na zona mais antiga da cidade, felizmente o Porto tem evoluído imenso em infra-estruturas, vulgo ciclovias.

O que deverão as cidades portuguesas fazer para se tornarem mais amigas das bicicletas? Deviam ter um plano elaborado pelo menos à imagem da maior parte das cidades do norte da Europa. Só um exemplo, no Porto não existem muitos sítios para deixar as bicicletas adequadamente e em segurança, colocaram uns pontos de estacionamento com capacidade para três exemplares e têm um sinal a avisar da sua localização. As ciclovias têm aparecido, mas aparecem outras coisas, numa palavra, copiem mas quem já faz bem….

Quais os teus locais favoritos no Porto? Matosinhos, surf seguido de uma refeição no Picaba, Baixa do Porto ao final da tarde com um copo de vinho entre amigos no Candelabro e Casa da Música mais para o final da noite quando o Clubbing tem um programa com que me identifico. Algumas tasquinhas tradicionais para me manter a par das novidades fora do mainstream são também um must have semanal.