A Matilha de Lisboa

This post is only available in portuguese.Tendo tomado conhecimento da Matilha Cycle Crew através do Brunch (nas fotos) que foi organizado pelos mesmos no Jardim da Estrela no início de Setembro, este grupo de ciclistas urbanos chamou-me especial atenção pela abordagem leve e aberta que possuem perante a bicicleta. Num ambiente descontraído e animado, o Cycle Brunch transformou-se num excelente evento para promover a bicicleta como um dos melhores meios de transporte citadinos. Demonstrando que o poder do pedal é algo democrático e que circular de bicicleta é perfeitamente compatível com uma vivência urbana e repleta de estilo, a Matilha Cycle Crew continua a angariar cada vez mais membros devido à sua atitude positiva e inclusiva. Depois de ter estado presente (e gostado bastante) no Cycle Brunch, não resisti a entrevistar a Matilha para O Editorial: O Editorial: Como surgiu a ideia de criar a Matilha? e quem são os seus fundadores? Matilha Cycle Crew: A Matilha Cycle Crew surge dentro da empresa onde trabalhamos, a Brandia Central. A pouco e pouco o número de pessoas que utiliza a bicicleta como meio de transporte principal começou a aumentar e passámos de apenas 2 pessoas, que eram habitués, para cerca de 10. Como é habitual aqui, começámos a falar sobre o que fazia falta na cultura das bicicletas em Lisboa e de que forma diferente é que podíamos promover o uso da bicicleta para o everyday commuting. Nós, um grupo de 4 pessoas - Fernando, Luís, Micaela e Patrick - decidimos fazer uma página no Facebook para partilharmos com a comunidade referências mundiais, os nossos pensamentos, ideias e eventos… Estávamos longe de pensar que a Matilha poderia ser uma comunidade de 600 pessoas, o que nos deixa bastante felizes com o caminho que está a tomar.

Quais os principais objectivos da Matilha? Se tivéssemos que definir a Matilha como uma “organização” é unânime entre os fundadores que seríamos uma organização sem fundos lucrativos. O que originou esta comunidade foi a paixão pelas bicicletas e é assim que vai continuar, movidos a pedal! Não temos muito claro quais são os objectivos da Matilha Cycle Crew, a ideia é contarmos com a participação de todos para fazermos eventos, pressão nos órgãos decisores do país entre outras coisas que possam vir a surgir. Queremos fazer de Lisboa uma cidade onde seja possível as bicicletas coexistirem com todos os outros meios de transporte. Hoje Lisboa, amanhã Portugal inteiro!

O Cycle Brunch foi um autêntico sucesso, que outras iniciativas estão a planear organizar? O Cycle Brunch deixa-nos orgulhosos pela assistência que teve. Foi o nosso primeiro evento, as pessoas acreditaram em nós e com a ajuda de todos, em especial das meninas da ADORO, transformámos um domingo banal no jardim num cycle brunch com muito boa vibe. Ideias para futuros eventos não nos falta, vão desde novas edições do cycle brunch a outras acções/eventos que vão causar impacto na nossa sociedade, sempre com o objectivo de promover o uso da bicicleta. Para agora, agora mesmo, temos este sábado dia 15 de Outubro às 21h no Clara Clara Café (Feira da Ladra) a exibição exclusiva do FIXATION, um documentário filmado em San Francisco, San Jose e Los Angeles. Segue aqui o link para o evento: http://www.facebook.com/event.php?eid=280919068594042

Quais os planos para o futuro da Matilha? A Matilha Cycle Crew vive um dia de cada vez, todo o nosso rumo é espontâneo e por isso original. Queremos, com a colaboração de todos, crescer cada vez mais e construir um futuro ciclável! Gostaríamos um dia de ver as nossas ideias e eventos serem realizados noutros pontos do país.

O que acham que poderia ser feito para tornar Lisboa uma cidade mais ciclável? A criação de ciclovias nos principais principais eixos da cidade, de uma forma simples e económica. Na maior parte das grandes avenidas basta diminuir um pouco as faixas dos automóveis e com pinturas horizontais criar eixos cicláveis a acompanhar o sentido dos carros. Aumentar cada vez mais a interligação da bicicleta com os transportes públicos, por exemplo reservar uma zona nas carruagens do metro para circular de bicicleta a qualquer hora do dia. Esta medida daria uma grande ajuda para unirmos a parte baixa da cidade para a alta. Mudar o código da Estrada onde a bicicleta tem que deixar de ser um veiculo secundário e menor.

Em tom de brincadeira, perguntei à Matilha como é que alguém se pode tornar um membro do grupo? Para fazer parte da Matilha não são precisos cartões, talões, impressos, formulários, ou mensalidades, basta fazer um Like na página do Facebook, aparecer nas nossas iniciativas e contribuir com novos desafios, ideias ou opiniões.